Plano Terapêutico

ACOLHIDA
A acolhida na comunidade inicia-se desde o primeiro momento em que a família e o dependente de drogas ou álcool, chegam para procurar o tratamento. Significa, num primeiro momento, acolher todas as queixas e relatos do usuário e de sua família, visando obter uma visão geral sobre o caso, o que é importante para avaliação da necessidade de ingresso e, também, para a futura construção do Plano de Atendimento Singular. (PAS). Os dados iniciais obtidos na acolhida são fundamentais para o diagnóstico e o planejamento do tratamento, que irão nortear e contribuir para a construção do PAS. Tanto os dados informados pelo futuro residente, quanto àqueles que são passados pelos familiares ao(à) profissional/equipe(Psicólogo e Terapeuta) que o acolhe, são indicadores e definem uma caminhada que se inicia a partir da procura. Na Comunidade Terapêutica a acolhida inicial é realizada pelo responsável técnico que também é Psicólogo. Eles receberão as queixas e colherão as informações necessárias que, posteriormente, serão repassadas à equipe para elaboração do PAS. Decidido pelo ingresso ao tratamento, o residente é apresentado à comunidade, às normas, ao funcionamento, à metodologia de trabalho e instalações, etc., e é dado início à construção do Plano ATENDIMENTO SINGULAR, elaborando-se o prontuário individualizado deste residente. As demandas apresentadas desde a acolhida inicial, vão colaborar para que o PAS seja elaborado pela equipe, reunindo intervenções dos profissionais necessários.


ADESÃO
O acolhimento Inicial é firmado com o futuro residente por ocasião do ingresso ao tratamento, muitas vezes junto com a família que o acompanha, onde irá assinar um termo de adesão que declara que aceita ser tratado pela entidade voluntariamente e que não teve nenhum tipo de pressão dos familiares, e que quando quiser não precisa fugir, é só pedir o desligamento que sua família é avisada ( exceto sábados,domingos e feriados) e poderá deixar a comunidade.


Metodologia
O período de tratamento, a princípio, (06) meses ininterruptos, dividido em três etapas:
1- Desintoxicação e adaptação;
Desintoxicação e adaptação: os três primeiros meses serão importantes para a desintoxicação que não é somente orgânica., e recuperação da saúde e análise através de exames médicos da rede pública.
2- Conscientização e reformulação;
Conscientização e reformulação: do 3º ao 6º mês, acontece o período de tratamento e reabilitação propriamente dito. Nesse período, as atividades serão intensificadas no mergulhar dentro de si, olhar pra sua história de vida e, a partir dessa imersão em si mesmo, ressignificar a própria vida, buscando a superação de comportamentos inadequados que o levam ao uso de drogas.

Modelo teórico e metodológico
O Modelo Minnesota, segundo o Observatório Brasileiro de Informações Sobre Drogas (OBID), baseia-se nas seguintes concepções:
1. Dependência química é uma doença e não um sintoma de outra patologia;
2. É uma doença multifacetada e multidimensional;
3. O motivo inicial que leva ao alcoolismo ou outras drogas psicoativas não está relacionado com o resultado;
4. Focaliza a causa que desencadeia o processo e não a predisposição para a dependência.

Comunidade Terapêutica
1. A meta é tratar, mas não curar. O paciente é motivado a aprender a viver com sua adicção (vício) que é uma condição crônica. Não em procurar as causas e esperar por uma cura;
2. Baseia seu programa de tratamento nos 12 Passos de AA e NA especialmente nos primeiros cinco;
3. Recomenda-se abstinência total de substâncias psicoativas;
4. Cria um ambiente onde a comunidade terapêutica é totalmente aberta e honesta, o que propicia uma troca de experiências em todos os níveis;
5. Tem uma equipe multidisciplinar especializada em dependência química como: Psicólogo, Terapeuta, Pedagogo, Assistente Social
6. Apresenta um programa essencialmente didático que é aplicável a qualquer pessoa, mas utiliza um plano de tratamento que é específico para os pacientes.

Nossas Unidades são formadas
por
EQUIPE DE PROFISSIONAIS
com formação superior e especialização

Como; Assistente social, 2 psicólogos, 1 psicopedagoga, 2 técnicos em dependência química além de médico fisiatra e equipe de enfermagem e monitores.

Atividades Ocupacionais

Estimulando o corpo, mente e espírito, criando um diferencial
no tratamento do dependente químico.

Atendimento individual com o psicólogo a cada 15 dias

Reuniões de debate em grupo
- Reunião de Narcóticos Anônimos 12 passos;
- Simulado da Reunião de Narcóticos Anônimos;
- Reunião de sentimentos.

Cursos profissionalizantes com certificado oferecidos pelo Fundo Social
- Corte e Costura;
- Cabeleireiro;
- Pedreiro;
- Porcelanato líquido (em processo de implementação aguardando patrocínio).

Psicopedagogia: Tem como objetivo criar um lugar seguro onde o dependente químico pode ser ele mesmo, restaurando a criatividade, aumenta a autoestima e a segurança emocional, e ao mesmo tempo resgatando a autonomia e desenvolvimento aspectos relevantes a cidadania, valores morais e éticos. Significa conectar-se com a possibilidade, a experiência e a vivência da satisfação de sentir-se autor de seus pensamentos. Estaremos reprogramando o cérebro, e estudos revelam que o dependente químico, altera sua memória e outras área cerebrais causando lesões, sendo que uma das funções é estimular os neurônios vizinhos sobreviventes e começar a brotar novas projeções para compensar os que se perderam, essa é uma forma chamada regeneração compensatória.

Musicoterapia: Estabelece funções e desenvolve potenciais por meio da música, ajuda no tratamento porque resgata a história do paciente, fortalecendo sua identidade por meio de relações sonoro-musicais e diminuindo sua ansiedade. “Com isso, ameniza as fissuras e a concepção de recaída do usuário, proporcionando um momento de alívio e de saúde.

Arteterapia: A arte é uma atividade milenar e é uma forma de expressão, de externalizar sentimentos, sensações, medos e muita coisa que está em nosso subconsciente, no nosso interior. A Arteterapia usa essa funcionalidade da arte como terapia, como tratamento para algo que, talvez, seja mais sério do que apenas fazer arte por hobby ou distração, como por exemplo, uma terapia para tratar dependentes químicos.

Artesanato: Ensino a fazer tapetes Arraiolo (português), sendo uma alternativa de renda, pois estes tapetes tem um mercado específico pois são caros e exige concentração e desejo.

Esporte: Um professor de educação física, uma vez por semana dá um treinamento para BADMINTON (um esporte inglês com raquete e peteca), e curso de Judo, boxe equipamentos de academia.

Depoimentos